Resenha: Dorothea

Dorothea é um manga shounen sobre um período negro da historia do Sacro Império Romano-Germânico (atual Alemanha), repleto de guerras entre feudos, alem de caça as bruxas e aos hereges promovidas pelo Papa.

A historia começa no pacifico reino de Nauders, onde o único conflito se restringia a seus dois covernantes, o Conde, governante legitimo de Nauders, e a Sybilla, nome dado a líder da Casa dos Brancos, uma antiga crença que diz que as pessoas brancas trazem sorte a região.

Infelizmente o período de guerras e caçada as bruxas começa a atingir a região, nisso separando 3 amigos de infância. Primeiro, o jovem Gyurk parte sozinho para a guerra junto de um grupo mercenário, deixando para traz Dorothea, a neta da atual Sybilla, e Else, a princesa de Nauders. Anos depois Gyurk retorna, e com autorização de sua avó, Dorothea se junta ao grupo de mercenários, ganhando alcunha de Bruxa de Mjölnir. Por fim, com medo da guerra o Conde então tranca sua própria filha em uma torre e passa a ameaçar cada vez mais a Casa dos Brancos, chegando ate a entregar Sybilla como bruxa.

Em seu caminho pela salvação de Nauders Dorothea passa a descobrir os horrores da guerra, perdendo sua inocência aos poucos, porem sem nunca desistir. Ela evolui muito se tornando uma ótima personagem.

A parte de romance e um pouco diferente de outros shounens, pois os personagens realmente tem motivos para se afastarem e negarem o que sentem.

Bem, no geral Dorothea e um manga histórico com uma ótima personagem, boa historia, e que consegue se manter num bom nível do inicio ao fim. Sugiro a leitura para aqueles que gostem de historias ao estilo de Joana D’arc.

Texto publicado originalmente em 06/05/2012

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.